• Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Facebook Basic Square

Na melhor das intenções... podemos mudar alguém?

 

 

 

 

 

O nosso melhor investimento é trabalhar sobre nós próprios, no nosso desenvolvimento pessoal, nas nossas inseguranças e isso já por si é um trabalho a tempo inteiro.

 

Há imensas formas do fazer, desde o bem-estar, físico a cursos de desenvolvimento pessoal, meditação, yoga, cadernos em que escrevemos diariamente ...

 

O facto de encontrar alguém na sua vida é um “up grade” que faz a si. É como introduzir uma mais valia na sua vida. A paz interior vem quando se sente bem consigo própria, eu diria que a 100% (nos dias ótimos :) ) e tudo o que venha de bom seja um acrescento maravilhoso, uma ajuda no seu crescimento.

 

O que fazer quando o seu crescimento não está em sintonia com o crescimento do seu parceiro?

 

Em primeiro, é preciso perceber que cada pessoa tem o seu perfil, as suas capacidades e qualidades e não lhe cabe a si a tarefa de mudar alguém.

 

O que lhe compete é a tarefa de fazer o seu melhor para estar bem consigo, e não depender de ter alguém para estar tranquilo. Porque se o fizer, se fizer a sua vida depender de algo que alguém externo faça ou alguém externo é... vai passar a sua vida a cobrar isso que precisa, a culpar, a exigir... algo desse outro alguém... como uma muleta que precisa para andar.

 

Pode fazer algo inspirador na sua vida e convidar a outra pessoa a acompanhar, mas não impor ou dizer que “tens de...”. É uma questão de partilha e não de exigência.

Quando opta por forçar a outra pessoa fazer alguma coisa, isso soa a obrigação, e o primeiro instinto é dizer NÃO. 

 

Pode perguntar:

“Vou fazer um curso de mindfulness, queres vir?”

“Vou sair com uns amigos e jantar, gostavas de te juntar a nós? Eu gostava que viesses...”

 

Coloque as questões com mente aberta, mas não lhes diga o que eles “têm de fazer”.

Partilhe os seus gostos, as suas vontades, diga o que precisa, e seja fiel a si. Não largue a sua identidade por ninguém e não exija que alguém deixe de ser genuíno só porque é confortável para si. 

 

Pedir algo a alguém, na perspetiva de “tens de...” acontece quando esse alguém está a ultrapassar os seus limites e está a provocar um desconforto na sua vida. Aí é a altura de pedir, de dizer: “Isto está a passar dos limites para mim e peço que pares porque não está a ser bom para mim.” 

 

Quando a questão é sobre a harmonia da sua relação, peça e exponha os seus limites...

 

Se for algo só porque quer, só porque é uma vontade sua, convide e veja se há sintonia e cumplicidade para se manterem nessa relação.

 

Não permita que ninguém seja destrutivo em relação a si... nesse caso estabeleça firmemente os seus limites. Caso contrário, seja a mais valia de alguém.

 

Por tudo isto a minha opinião é que não, não devemos nem podemos mudar alguém...

 

 

Fique muito bem,

Bárbara

Please reload

 
Posts Em Destaque